Publicado em 04/12/2015
 
 
Compartilhe:
Confira outras dicas

Explore incríveis pirâmides pelo mundo!

As pirâmides Quéops, Quéfren e Miquerinos formam o principal cartão-postal do Egito, onde acredita-se que há cerca de 100 pirâmides! (Crédito: Thinkstock)

O que pode haver em comum entre o Egito, o Sudão e o México? Além de muita história para contar, estes países conservam incríveis pirâmides, herança dos faraós e dos povos maias e astecas.

Preparamos um roteiro para você conhecer as famosas pirâmides Quéops, Quéfren e Miquerinos, no Cairo, assim como a do Sol e da Lua, na cidade mexicana de Teotihuacan, entre muitas outras que permanecem como grandes mistérios para a ciência e prometem grandes aventuras. Confira a lista e inspire-se:

O sítio arqueologico de Saqqara abriga a pirâmide de Djoser, construída em 2648 a.C (Crédito: Thinkstock)

Pirâmides de Gizé | Egito

Próximo à capital egípcia, Cairo, é obrigatório passar pelas famosas pirâmides Quéops, Quéfren e Miquerinos, também chamadas Pirâmides de Gizé. Esses monumentos milenares foram erguidos cerca de 4 mil anos atrás e desde então impressionam turistas e estudiosos. As três construções fazem parte das Sete Maravilhas do Mundo Antigo e duas delas estão abertas para visitação (Quéfren e Quéops), mas a entrada de turistas é limitada. A melhor forma de conhecer a região é por meio de passeios guiados. A CVC oferece pacotes para o Cairo combinada com Roma, Dubai e ao balneário de Sharm El Sheikh.

Saqqara | Egito

Distante cerca de 1h do Cairo, o sítio arqueológico de Saqqara abriga as pirâmides de Unas e a de Djoser em meio a outros monumentos em homenagem ao faraó Zoser. A principal atração é a pirâmide de Djoser, com pouco mais de 60 metros de altura e 4,6 mil anos de história. Saqqara é um dos sítios arqueológicos mais importantes do Egito, já que foi projetado por Imhotep, considerado o primeiro arquiteto da história. Em 2011 o local foi alvo de um estudo britânico que identificou duas pirâmides “perdidas” por lá.

As pirâmides da região de Meroé, no Sudão, foram construídas ao longo de meio século a partir de 800 a.C (Crédito: Thinkstock)

Pirâmides de Meroé | Sudão

Acredita-se que as pirâmides do deserto de Meroé, no Sudão, país vizinho ao Egito, tenham sido construídas para funcionar como tumbas. Elas datam de 280 a.C. e muitas continuam em bom estado – outras já estão em ruínas. Chamam a atenção pelo número e pela variedade de estilos. As mais altas chegam a 30 metros. A área pode ser visitada em roteiros pelo rio Nilo.

Pirâmides de Jebel Barkal | Sudão

A cerca de 380 quilômetros das Pirâmides de Meroé você estará nas pirâmides aos pés da montanha Jebel Barkal. Estudos e pesquisas apontam que há 20 pirâmides nessa área, construídas por volta do século 3 a.C. Pela importância arqueológica, a região de Jebel Barkal, também conhecida como Núbia, está na lista de patrimônios mundiais da Unesco, assim como a cidade de Meroé.

Templo Mayor | México

A pirâmide conhecida como Templo Mayor, na Cidade do México, está em ruínas. O templo, construído pelos astecas no século 15, foi usado para cerimônias religiosas e acabou sendo destruído pelos espanhóis na década de 1520. Hoje, o local é separado por áreas de escavações arqueológicas no que restou da pirâmide e também abriga o museu Templo Mayor e a Catedral Metropolitana, construída por volta de 1570.

A região de Teotihuacan, com pirâmides que ainda são um mistério, está a 50 quilômetros da Cidade do México (Crédito: Thinkstock)

Pirâmides de Teotihuacan | México

Distante cerca de 4h da capital mexicana, as pirâmides de Teotihuacan são paradas obrigatórias na viagem. Até hoje, após mais de 2 mil anos, não se sabe ao certo como foram construídas. Para conhecer a pirâmide do Sol, a mais alta, é preciso subir cerca de 240 degraus. Já a pirâmide da Lua impressiona pela descoberta de restos humanos e oferendas de joias e flores, além de estar cercada por palácios. As construções fazem parte da zona arqueológica de Teotihuacan, antiga Cidade dos Deuses para os astecas, e é patrimônio da humanidade.

Grande Pirâmide de Cholula | México

Vale a pena esticar a viagem até a zona arqueológica de Cholula, situada a cerca de 1h da capital, para visitar a Grande Pirâmide de Cholula, considerada a maior pirâmide mexicana, já que ocupa área de 186 mil metros quadrados. A aventura pela pirâmide inclui passagens por labirintos de túneis. No local também há um museu. Vários outros monumentos históricos estão espalhados pela cidade de Cholula, um dos patrimônios da humanidade.

Chichén Itzá | México

A região de Cancún, um dos destinos mais desejados do litoral mexicano, é também sinônimo de história. Entre dias de praia e diversão, reserve tempo para visitar o templo Kukulcán, em forma de pirâmide, na cidade de Chichén Itzá. Vale a pena esticar o passeio até incríveis cenotes (grutas e cavernas cheias de água cristalina). Beleza natural e passeios arqueológicos não faltam!

Belize, assim como a região de Cancún, no México, é outra parte do Caribe que foi muito influenciada pelos maias (Crédito: Thinkstock)

Yucatan | México

Próximo à Península de Yucatan, o sítio arqueológico de Uxmal é incrível. A principal atração é a Pirâmide do Adivinho, com 35 metros de altura – há outros templos impressionantes de pedra por perto. A área faz parte da lista dos destinos mexicanos que estão entre os patrimônios da humanidade.

Altún Há | Belize

As ruínas da pirâmide de Altun Há, em Belize, no Caribe, fazem parte das construções deixadas pela civilização maia no país. Conheça a zona arqueológica, onde escavações descobriram pedras preciosas, e não deixe de fotografar o Altun Há e outras construções de pedra erguidas por volta de 900 a.C.

Pirâmide Sukuh | Indonésia

O templo de Sukuh, localizada na ilha de Java, na Indonésia, foi erguido no século 15 para celebrar eventos religiosos. Além da pirâmide, possui várias estátuas que fazem referência à fertilidade. A construção foi descoberta por exploradores no século 19. Atualmente o local está com a estrutura ameaçada e há controle de visitantes. Uma reforma foi planejada para terminar em 2016.

 

dica anterior
Confira dicas para economizar em Orlando

próxima dica
Visite os 7 melhores zoológicos do mundo