Publicado em 26/04/2016
 
 
Compartilhe:
Confira outras dicas

Conheça os hotéis pet friendly e viaje com seu melhor amigo!

Antes de fechar um hotel, verifique sempre as condições para receber seu bichinho e quais serviços são prestados (Crédito: Thinkstock)

Se o seu cachorrinho é considerado da família e também merece umas férias, saiba que existem hotéis onde o pet pode ficar hospedado junto com seus donos. De acordo a Pesquisa Nacional de Saúde do IBGE, hoje há mais famílias com cachorros do que com crianças no Brasil e, por isso, o segmento de hotéis pet friendly ganha cada vez mais espaço no mercado.

Alguns hotéis permitem que o animal circule pelas áreas de lazer (Crédito: Thinkstock)

São diversas opções de hotéis de luxo, hotéis-fazenda e pousadas, com os mais variados tipos de hospedagens e preços. A estimativa é que o número de estabelecimentos que recebem animais de estimação cresceu cerca de 70% nos últimos 10 anos. Na prática, o selo 'pet friendly', criado em 2012 pelo Portal Turismo 4 Patas, certifica hotéis ou pousadas que atendem requisitos desenvolvidos com a ajuda de viajantes que costumam levar seus animais – isso inclui cães, gatos e até pássaros.

Entre os critérios estão a presença de lixeiras exclusivas para as fezes dos bichos, bebedouros com água para os animais, possibilidade de dormir no quarto com o dono, convênios com pet shops e veterinários, além da receptividade dos funcionários com os hóspedes de quatro patas. Os requisitos podem ser obrigatórios ou eletivos, dependendo do nível de classificação.

Diferenças

Existem várias diferenças entre hotéis pet friendly e os que apenas aceitam animais. Fique atento! (Crédito: Thinkstock)

Antes de comemorar e já marcar sua viagem, observe com atenção as condições de hospedagem que cada hotel oferece ao seu bicho. Existe uma grande diferença entre aceitar animais e ser pet friendly, pois há lugares que aceitam animais, mas eles devem sempre andar no colo e a área de transição é apenas no quarto e na varanda. Nos pet friendly, os mimos para os animais vão desde kits com petiscos, tapetes higiênicos, mantinhas, espaços para o dono fazer as refeições com o animal até mordomos para passeios, piscinas exclusivas, playground e equipamentos stand-up paddle.

Fique de olho!

Antes de fechar sua viagem, sempre verifique com o hotel alguns pontos para tornar sua estadia tranquila e sem surpresas:

• Cheque quais são as áreas onde o pet pode circular;
• Certifique-se se o hotel recebe apenas cães ou o espaço também é aberto a gatos e pássaros, por exemplo;
• Verifique se o animal pode ficar sozinho no quarto;
• Confira se há um local determinado onde o bichinho irá dormir e/ou poderá ficar no quarto;
• Se possível, escolha chalés ou invés de quartos comuns. Se o seu cão latir, irá incomodar menos outros hóspedes;
• Leve sempre seu kit de higiene (saquinhos para fezes, toalhas caso o animal se molhe, potes para água e comida, além de cobertor, caso ele use).

Encontre seu hotel e programe agora uma viagem!

Está difícil achar um hotel com essas características? Então anote aí algumas sugestões! Em Foz do Iguaçu, o Nadai Confort Hotel oferece serviços como kit com caminha, potes de refeições e petisco para o animal de estimação. É necessário avisar a ida do animal para fazer a reserva e receber as informações necessárias, já que existem restrições em relação ao tamanho do pet.

Em São Paulo, o Sheraton WTC oferece pacote que inclui cama, potes de água e ração, itens de higiene e até passeio com mordomo. Outras opções na cidade são o Tivoli Mofarrej e o Pullman Ibirapuera.

Cuidados ao viajar de avião com seu pet

Procure sua companhia aérea para checar quais são as exigências para viajar com seu pet (Crédito: Thinkstock)

Prática cada vez mais frequente hoje em dia, a viagem de avião com animais de estimação exige muitos (muitos mesmo!) cuidados. Para começar, todas as companhias aéreas exigem caixas de transporte de tamanho específico – suficiente para que o animal fique de pé e possa dar uma volta em torno do corpo – com portas reforçadas para evitar fugas e identificação do animal.

Geralmente são cobradas tarifas adicionais pelo serviço e as empresas costumam ter o limite de dois animais por voo. Recomenda-se jejum alimentar de seis a oito horas antes da viagem e água até três horas antes do embarque. Existem companhias que permitem que o animal viagem na cabine com seu dono, mas há limitações de peso. Em outras, os bichinhos só podem ficar em um compartimento pressurizado (verifique sempre as condições da companhia aérea).

Saúde

Outro fator que deve ser considerado é as condições de saúde do animal. Atrasos, variações na pressão atmosférica e na temperatura podem colocar em risco seu bichinho e eles jamais devem ser embarcados com qualquer evidência de problema de saúde. O estresse pode colaborar para a piora de qualquer quadro pré-existente.

 

dica anterior
Intercâmbio em Buenos Aires: confira as vantagens!