Publicado em 08/12/2015
 
 
Compartilhe:
Confira outras dicas

Exótica e caótica: Nova Déli vai te surpreender com atrações inesquecíveis. Confira!

Barulhenta e caótica, Nova Déli tem atrações impressionantes, como monumentos, templos, lojas e restaurantes deliciosos (Crédito: Thinkstock)

Barulhenta, caótica, exótica e fascinante. Nova Déli, a capital do segundo país mais populoso do mundo, a Índia, é uma mistura de tradição e modernidade, de religião e tecnologia. Ali você encontra atrações incríveis que são patrimônio da humanidade, como Tumba de Humayun e o Forte Vermelho, os belos templos de Lotus e Akshardham, mas também ruas apinhadas de carros, motos, rickshaws (triciclos motorizados), pedestres e... vacas. Sagrados para a religião hindu, os animais andam livremente pela cidade.

Tanta bagunça pode dar a impressão de que a cidade não é atrativa para o turismo. Bobagem. Basta ignorar o trânsito insano – São Paulo é um exemplo de organização, se comparada à Nova Déli – a poluição e o lixo acumulado, encarar sem preconceito uma nova cultura e embarcar em uma viagem sem precedentes. Encante-se com a gastronomia apimentada e aromática, com os sáris coloridos das mulheres, as estátuas de milhares de deuses hindus e a gentileza de seu povo.

Conheça o belo observatório astronômico Jantar Mantar (Crédito: Thinkstock)

Atrações

O que não falta à Nova Déli são pontos turísticos. A capital tem inúmeras atrações interessantes, restaurantes com o melhor da culinária indiana e lojas onde você compra de tudo, desde roupas, artesanato até eletrônicos. Tanta variedade exige alguns dias em seu roteiro de viagem para aproveitar tudo o que esta cidade tem a oferecer.

 Para começar, conheça o exótico observatório astronômico Jantar Mantar, um dos cinco observatórios construídos pelo marajá Jai Singh II, no início do século 18. Com design extravagante, possui diversas esculturas que eram utilizadas para prever eclipses e acompanhar o movimento dos astros.

A maior mesquita do país fica em Déli chega a reunir 25 mil fiéis (Crédito: Thinkstock)

A Tumba de Humayun, mausoléu construído em homenagem ao segundo imperador mongol, Humayun, e o Forte Vermelho, que possui dois quilômetros de muralhas de pedras vermelhas com até 30 metros de altura, também não podem faltar nesta viagem. Visite também a maior mesquita do país, a Jama Masjid, que chega a receber em época de festivais cerca de 25 mil fiéis. A torre Qutb Minar, com 73 metros de altura e declarada patrimônio mundial pela Unesco, é outra parada obrigatória.

Inspire-se nos ensinamentos de Gandhi ao visitar seu memorial (Crédito: Thinkstock)

Gandhi Smiriti

O líder pacifista Mahatma Gandhi é idolatrado pelo povo indiano e admirado por muitas pessoas no mundo. Seus ensinamentos e sua história de luta pela independência do país em 1948 podem ser vistas no Gandhi Smiriti (Memorial Mahatma Gandhi e o Museu Gandhi). Este é o exato local onde Gandhi passou os últimos 144 dias de sua vida e foi morto com um tiro. O quarto onde dormia é aberto ao público e guarda objetos pessoais, como o cajado que usava e suas sandálias. O museu ainda exibe um filme de animação e fotos de Gandhi.

O belo templo de Lotus tem arquitetura moderna que lembra uma flor (Crédito: Thinkstock)

Templos

Existem milhares de templos na cidade, mas dois deles são absolutamente imperdíveis. O Templo de Lotus chama a atenção por seu design, que parece uma flor de lótus branca. Tem como proposta receber todas as pessoas que queiram exprimir sua espiritualidade, independentemente de crenças. Por este motivo, o local não possui altares ou símbolos que identifiquem qualquer religião. Já o Templo de Akshardham mistura religião e atrações típicas de parques de diversões. A construção tem mais de 20 mil imagens religiosas e entre as atrações estão passeio de barco, cinema e show noturno de luzes e música.

O Templo de Akshardham mistura religião e atrações de um parque de diversões (Crédito: Thinkstock)

Compras

Tudo na Índia é muito barato, mas antes de se aventurar nas compras é preciso negociar. Pechincha é a palavra de ordem no comércio indiano e nunca compre nada pelo preço pedido inicialmente. Isso vale também para os serviços. Uma corrida nos rickshaws, por exemplo, deve ter seu preço acertado antes do embarque. Em geral, depois de uma negociação os valores podem cair pela metade.

A torre Qutb Minar, com 73 metros de altura (Crédito: Thinkstock)

Outra dica valiosa é conhecer um pouco da cultura local antes da viagem. Tirar os sapatos antes de entrar nos templos é uma regra que deve ser seguida. Sempre cumprimente as pessoas usando a palavra namastê (significado: “o Deus que habita no meu coração, saúda o Deus que habita no seu coração”), deseje boa sorte dizendo “ram ram” ou diga obrigado com as palavras “shukriáh” ou “deniwad”.

Além disso, carregue sempre consigo géis antissépticos para limpar as mãos antes das refeições, anti-histamínicos e colírios para os alérgicos à poluição e também seu rolo de papel higiênico. Isso mesmo! Na Índia esse item de higiene não é muito comum – mesmo nos hotéis. Então, para garantir, sempre ande com seu rolinho na mochila.

 

dica anterior
Curta os maiores arranha-céus do mundo e conheça paisagens direto das alturas!

próxima dica
9 motivos para você viajar para a Turquia