CVC - Viagens

Bem-vindo a CVC,

alterar senha (sair)


 

Visitar cidade sagrada de Jerusalém é mergulhar na história

A cidade sagrada para as três principais religiões monoteístas – judaísmo, islamismo e cristianismo – é um verdadeiro mergulho na história da humanidade. Dividida entre Cidade Velha (limitada pelas muralhas) e Cidade Nova (lado de fora dos muros), Jerusalém se tornou um caldeirão cultural, misturando diversos credos e costumes. Na Cidade Velha ficam os locais mais sagrados para judeus, muçulmanos e cristãos: o Muro das Lamentações, a Mesquita do Domo da Rocha e a Via Sacra. A Cidade Nova guarda tesouros como o sítio arqueológico da Cidadela de Davi e o Jardim das Oliveiras. A capital declarada de Israel ainda exibe um lado moderno com museus tecnológicos, bares lotados de jovens, que se divertem também em baladas de música eletrônica. Embarque em uma viagem por essa terra fascinante, milenar e universal.

Crédito: Thinkstock  
quando ir

Com baixa umidade relativa do ar, as noites de Jerusalém são frescas mesmo no verão. O inverno (entre novembro e março) é bastante frio, mas dificilmente registra temperaturas negativas. No verão (julho e agosto) a cidade fica cheia de turistas e os preços ficam mais salgados.

curiosidades

Evidências arqueológicas apontam que a cidade foi fundada por povos semitas por volta do ano 2.600 a.C.. De acordo com a tradição judaica, Jerusalém foi fundada por Sem e Éber, filho e neto de Noé. 

Veja mais informações sobre o idioma, moeda local, taxas, documentação, peso da bagagem e muito mais!
 

Fotos

É impossível caminhar pelas ruas da Jerusalém sem sentir o peso da história e se admirar com a demonstração de fé das pessoas que a visitam. A Cidade Velha, sagrada para muçulmanos, judeus e cristãos, está repleta de igrejas, sinagogas e mercados ao ar livre. Se você quer conhecer a Jerusalém cristã, percorra a Via Sacra - caminho em que se acredita ter sido percorrido por Jesus com a cruz, composto por 14 lugares que pontuam o trajeto bíblico. Do lado de fora das muralhas estão pontos turísticos muito importantes, como o Cenáculo, a Igreja e o Monastério da Dormição, a tumba do Rei David e o Monte das Oliveiras.

Muro das Lamentações, sagrado para judeus, foi o único pedaço que restou do muro de sustentação do Templo de Salomão (Crédito: Thinkstock)
Acredita-se que onde hoje está a Igreja e Monastério da Dormição a mãe de Cristo tenha ascendido aos céus (Crédito: Thinkstock)
O Monte das Oliveiras é um local sagrado tanto para judeus quanto para cristãos (Crédito: Thinkstock)
A Igreja do Santo Sepulcro é o templo mais importante para o cristianismo em Jerusalém (Crédito: Thinkstock)
Os souqs - mercados, em árabe - da Cidade Velha são uma atração à parte na cidade (Crédito: Thinkstock)
O Museu de Israel é composto por vários prédios e entre eles há um jardim de esculturas (Crédito: Thinkstock)
Conhecida como Torre de David, o local já serviu de palácio para Herodes (Crédito: Thinkstock)
O Vale de Kidron é a parte mais antiga de Jerusalém, onde está a Cidade de David (Crédito: Thinkstock)
O caminho feito por Jesus entre o momento de sua condenação e o sepultamento é conhecido como Via Sacra (Crédito: Thinkstock)
No Monte do Templo ficam construções espetaculares, como as mesquitas do Domo da Rocha e El-Aqsa (Crédito: Thinkstock)
 

Principais atrações

Prepare-se para uma viagem à história da humanidade ao andar por Jerusalém, uma das cidades mais disputadas politicamente do planeta. Emocione-se no caminho percorrido por Jesus até sua crucificação, conheça igrejas seculares, mesquitas grandiosas, o famoso Muro das Lamentações e a escavação da Cidade de David, que data de mais de 4 mil anos.

Crédito: Thinkstock

Via Sacra

O caminho feito por Jesus entre o momento de sua condenação e o sepultamento é repetida por cristãos de todo o mundo. O local exato se perdeu com o tempo, mas a trilha hoje delineada segue a tradição bizantina de 14 passos. O início fica na Igreja da Flagelação, construída sobre o Praetorium de Pôncio Pilatos, e se encerra na Igreja do Santo Sepulcro.

ENDEREÇO: Cidade Velha.

Crédito: Thinkstock

Igreja do Santo Sepulcro

O templo mais sagrado do cristianismo em Jerusalém foi construído sobre o que se acredita ser o lugar do Calvário de Jesus, onde ele teria sido crucificado e ressuscitado. É a última estação da Via Sacra. Na época de Jesus, o local ficava fora das muralhas da cidade. Para entrar, é preciso vestir-se com recato, cobrindo braços e a cabeça com um véu, para as mulheres.

ENDEREÇO: Cidade Velha.

Crédito: Thinkstock

Igreja e Monastério da Dormição

Uma das crenças sobre morte de Maria, mãe de Jesus, é de que a Virgem não teria de fato morrido, mas ascendido aos céus, num sono eterno. O local onde Maria teria caído em seu sono é celebrado na Igreja da Dormição, no Monte Sião. O templo foi construído entre os séculos 19 e 20 e está sob guarda dos beneditinos desde 1910.

ENDEREÇO: Monte Sião.

Crédito: Thinkstock

Monte das Oliveiras

Para os judeus, este será o lugar onde o Messias retornará no Dia do Julgamento. Para os Cristãos, é o lugar onde Jesus subiu ao céu. O monte possui belas igrejas, como a de Todas as Nações, que fica ao lado do Getsêmani, jardim onde Jesus foi preso. Outro ponto muito visitado é a Tumba da Virgem Maria, datada do século 12. 

Crédito: Thinkstock

Monte do Templo

Este é o terceiro ponto mais importante de peregrinação para muçulmanos (atrás de Mecca e Medina). Lá ficava o Templo de Salomão, que foi destruído pelos romanos. Dentro do complexo estão as mesquitas do Domo da Rocha e El-Aqsa. Não muçulmanos podem entrar somente pelo portão de Bab al Maghariba.

ENDEREÇO: Cidade Velha.

Crédito: Thinkstock

Muro das Lamentações

É um pedaço de 55 metros de largura que restou do muro de sustentação do Monte do Templo, sobre o qual ficava o Templo de Salomão (Segundo Templo), destruído no ano 68 pelos romanos. Desde então, o Kotel HaMa'aravi, como é chamado em hebraico, passou a ser o lugar mais sagrado do mundo para os judeus. Diariamente pessoas rezam, choram e escrevem pedidos em bilhetes de papel, que colocam nas frestas.

ENDEREÇO: Cidade Velha.

Crédito: Thinkstock

Torre e tumba de David

A cidadela que fica à direita do portão de Jaffa data do século 1 e já serviu de palácio para Herodes. O lugar passou por tantas mãos que, na vez dos bizantinos, foi confundido com o Palácio do Rei David, daí o nome "Torre de David". Hoje funciona como museu. Já o local conhecido como a Tumba do Rei David, fica no Monte Sião. No entanto, o fato do rei judeu ter sido enterrado no local ainda é controverso.

Crédito: Thinkstock

Vale de Kidron

É a parte mais antiga de toda a Jerusalém, onde está a Cidade de David, povoado cananeu conquistado pelo rei David há 3 mil anos. Os primeiros sinais da cidade fortificada datam de 4 mil anos, época de Abraão. O complexo foi aberto para visitação há alguns anos. Em destaque está o Túnel de Hezekiah, tubulação construída em 700 a.C. para levar água das fontes de Gihon para as piscinas de Shiloé.
ENDEREÇO: Cidade de David.

Crédito: Thinkstock

Museus

Se você gosta de história, conheça também os museus de Jerusalém. O Museu de Israel é composto por vários prédios e entre eles há um jardim de esculturas com Rodin e Picasso. O Museu do Livro, que fica dentro do Museu de Israel, tem formato de um rolo de pergaminho e guarda os Manuscritos do Mar Morto. Outro ponto alto é a Maquete de Jerusalém, retratando a cidade pouco antes da destruição do Templo. Já o Museu do Holocausto conta a história do massacre de seis milhões de judeus durante a Segunda Guerra Mundial. Ambos museus ficam na Cidade Nova.

Crédito: Thinkstock

Mercados

Os souqs (mercados, em árabe) da Cidade Velha são uma atração à parte, formados por conquistadores árabes que estabeleceram seus bazares. Por ali são vendidas especiarias, tecidos, objetos de decoração, joias e alimentos. Aproveite e aprecie a culinária local em lugares que vendem kebabs, doces e falaféis.

ENDEREÇO: Cidade Velha.

Cenáculo

O local exato onde ocorreu a Última Ceia, quando Jesus Cristo e seus apóstolos celebraram a comunhão com pão e vinho para a Páscoa judaica, é desconhecido, mas uma pequena sala na Igreja de Santa Maria do Monte Sião, construída pelos cruzados no século 12 e reconstruída por franciscanos no século 14, ficou popularmente conhecida por ter sido o lugar do encontro de Jesus e os apóstolos. O Cenáculo fica próximo ao portão de Zion, do lado de fora da Cidade Velha.

ENDEREÇO: Monte Sião.

 

Hospedagem

Addar Hotel

O hotel fica a cinco minutos a pé das muralhas e a apenas dois minutos a pé da Catedral de São Jorge. Dispõe de acesso wi-fi gratuito e academia. O edifício original do hotel, que remonta ao século 19, foi totalmente reconstruído em 1997, mantendo a entrada e a fachada originais. Os quartos possuem varanda e banheira de hidromassagem.

Capitol

Localizado a dois minutos das muralhas da Cidade Velha, fica perto da famosa rua Salah Ad Din, com muitos restaurantes e lojas. O Portão de Herodes está a três minutos e o Portão de Damasco fica a apenas cinco minutos dali. Dispõe de bar, jardim, restaurante e balcão de turismo. Os quartos apresentam TV por assinatura, wi-fi gratuito e ar-condicionado.

Prima Park Hotel

Situado próximo ao Museu de Israel e do Knesset (Parlamento), o hotel oferece wi-fi gratuito, piscina coberta, quadra de tênis e squash, academia, bar, restaurante e serviço de câmbio. As acomodações são equipadas com máquinas de café e chá, minigeladeira, TV por assinatura e cofre.

Royal Jerusalem

Este hotel fica localizado próximo à entrada da cidade, a pouco mais de três quilômetros dos Portões de Jaffa, em frente a uma estação de trem e a um quilômetro da rodoviária central. Entre as comodidades estão academia, piscina, wi-fi gratuito, bar, lojas e café da manhã israelita. Os quartos dispõem de TV a cabo, ar-condicionado, telefone e frigobar. 

Jerusalem Gardens Hotel & Spa

O hotel oferece uma bela vista para a cidade e dispõe de acomodações com TV a cabo, frigobar, máquina de chá e café, ar-condicionado, wi-fi gratuito e varanda. Conta com spa, terraço, restaurante de cozinha internacional, sauna, banheira de hidromassagem e academia. O Knesset (Parlamento) e o Museu de Israel ficam a 15 minutos a pé de distância da propriedade.

Agripas Boutique Hotel

Este hotel boutique fica situado no centro de Jerusalém, a apenas cinco minutos do Mercado Mahane Yehuda, a 700 metros da badalada rua Ben Yehuda e a 15 minutos do Parque Sacher. Os quartos apresentam ar-condicionado, TV de tela plana, banheira ou chuveiro. O café da manhã é servido diariamente no terraço da cobertura. 

 

Promoções

 

Observação: O conteúdo do texto acima é meramente informativo. A confirmação dos preços e informações sobre os serviços disponíveis são de responsabilidade das empresas mencionadas.

IMPORTANTE: O conteúdo desta página é protegido por direitos autorais. Fica proibida a reprodução dos conteúdos - textos, figuras e gráficos - do Portal, salvo prévia autorização por escrito da CVC.

*Os valores dos pacotes apresentados nesta página podem variar de acordo com a cidade de origem. Selecione sua localização e confira o menor preço disponível para sua localidade. Todos os preços estão sujeitos à disponibilidade de lugares no ato da reserva. Os valores dos pacotes acima são o total do quarto dividido pela quantidade de passageiros (adulto ou criança ou bebê).

CVC Brasil Operadora e Agência de Viagens | CNPJ: 10.760.260/0001-19 | Rua das Figueiras, 501 - Jardim – Santo André – SP | CEP: 09.080-370 © 2015 Viagens CVC - Todos os direitos reservados.
Um site validado pela Certisign indica que nossa empresa concluiu satisfatoriamente todos os procedimentos para determinar que o domínio validado é de propriedade ou se encontra registrado por uma empresa ou organização autorizada a negociar por ela ou exercer qualquer atividade lícita em seu nome.